Piracicaba - SP
Humberto Palma, 72
(19) 3301.1551
(19) 3374.2351
vendas@pirabyte.com.br
suporte@pirabyte.com.br

Seis vezes em que a Microsoft superou a Apple

Seis vezes em que a Microsoft superou a Apple

Depois de mais de 15 anos, a Microsoft recuperou, por um breve momento, o posto de empresa mais valiosa do mundo, desbancando a Apple. No fim de novembro, a companhia fundada por Bill Gates travou uma batalha pela preferência dos investidores em Wall Street, e chegou a passar em cerca de US$ 4 bilhões o valor de mercado da dona do iPhone.

Desde então, a Apple recuperou seu espaço como primeira do ranking entre as empresas listadas na bolsa. Mas essa não foi a primeira vez que a desenvolvedora do Windows ficou à frente da concorrente. Confira a seguir outras seis situações em que a Microsoft superou a rival ao longo da história.  

1. No valor de mercado

A primeira vez que a Microsoft passou à frente da Apple teve início nos anos 1990, quando a empresa surfou no sucesso do Windows 95 e, no começo dos anos 2000, se tornou a empresa mais valiosa do mundo. Mais tarde, a companhia viria a sofrer o maior processo antitruste da história, deixando o posto de primeira colocada, que viria a ser ocupado, em 2011, pela empresa de Steve Jobs.

Em novembro de 2018, as ações da Apple caíram devido, entre outros fatores, às baixas expectativas em relação aos gastos dos consumidores com os produtos da empresa. Em contrapartida, analistas veem com bons olhos o crescimento dos negócios da Microsoft. Com as ações da rival caindo com força, ela superou os US$ 847 bilhões de valor de mercado, chegando a US$ 851 bi na bolsa de Nova York.

2. No mundo dos consoles

Em meio ao sucesso de dispositivos como iPhone, iPad e Mac, a Apple teve alguns fracassos, e um deles no mundo dos games. A empresa entrou no mercado de consoles em meados da década de 1990 ao lançar o Pippin, um videogame com especificações potentes que não teve o resultado esperado. Embora fosse poderoso para a época, havia poucos jogos disponíveis para concorrer com Sony, Sega e Nintendo no setor.

A Microsoft foi mais bem-sucedida em 2001, quando lançou a primeira geração do Xbox. O produto ganhou rápida aceitação, tendo vendido mais de 24 milhões de unidades em cinco anos. Com o lançamento do Xbox 360, Xbox One, One S e One X, a divisão de games da empresa cresceu e hoje é responsável por tornar a Microsoft um dos principais nomes no mercado de jogos, com participação importante em feiras como a E3.

Xbox fez sucesso que o fracassado Pippin, da Apple, nunca alcançou — Foto: Reprodução/Receita Federal

3. Na popularidade do Windows

Embora os anos 80 tenham sido de reinado da Apple, o lançamento do Windows 3.0 no início dos anos 1990 foi o começo da derrocada do Mac, plataforma mais recente da maçã. O sistema da Microsoft havia ganhado uma interface fácil de usar e era muito mais barato, pois vinha instalado em computadores de múltiplos fabricantes.

Windows é o sistema mais usado do mundo desde os anos 1990 — Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo

4. Na popularidade do Office

Apesar do Windows ter sido responsável pela valorização rápida da Microsoft, foram os programas de produtividade que começaram a escrever a história de sucesso da empresa. Nos anos 80, o editor de texto Word e o processador de planilhas Excel alcançaram um sucesso enorme e praticamente criaram, sozinhos,o setor de aplicativos de escritório. Mais tarde, a empresa de Gates juntou esses e outros apps no Office e passou a vender o programa completo nas lojas ao lado do CD do Windows.

Até hoje, outras empresas tentam emular os programas da Microsoft, mas sem sucesso. Apesar de várias alternativas da IBM e de outros fabricantes, o pacote Office foi o mais usado dos anos 90, chegando ao status de pré-requisito para currículos no mundo inteiro. Até hoje, por mais que tenha recursos refinados, a suíte de apps iWork, da Apple, não chega perto da popularidade alcançada pela solução da Microsoft.

Office ainda é suíte de apps de escritório mais popular do mundo — Foto: Divulgação/Microsoft

5. Nos jogos para PC

Computadores se tornaram uma plataforma importante para o desenvolvimento de jogos com a chegada do DirectX, uma API (Interface de Programação de Aplicativos) feita para games que padroniza a comunicação entre o software desenvolvido pelo estúdio e o hardware da máquina.

Por essa razão, é comum que jogos famosos sejam lançados tanto para consoles quanto para PC, quase sempre com prioridade em relação às escassas versões para macOS. A versatilidade do Windows resulta em um mercado todo voltado para gamers, que inclui PCs poderosos com hardware dedicado a entregar os melhores gráficos, até o surgimento de torneios mundo afora. Nada disso seria possível apenas com o sistema fechado da Apple à disposição.

6. Nos serviços empresariais

O principal motivo da melhoria nos indicadores financeiros da Microsoft nas últimas semanas é o clima de otimismo em relação aos negócios da Microsoft voltados para o mercado empresarial. Investidores veem o crescimento desse setor com bons olhos, considerando que a margem para ampliar o faturamento seja maior a longo prazo do que vendas diretas para consumidores.

O ponto forte da Microsoft nesse segmento é a comercialização de serviços na nuvem, como o Microsoft Azure, plataforma que executa apps e serviços de empresas em uma infraestrutura terceirizada, diminuindo os custos com data centers próprios. Essa é uma esfera inexplorada pela Apple, que aposta sempre no consumo do cliente final para aumentar suas expectativas de ganho.

Ferramentas na nuvem, como o Azure, são trunfo da Microsoft para superar Apple nas empresas — Foto: Reprodução/Microsoft